+55 (32) 3211-8140 (32) 3031-5911

Produtos

Ações

Um pedaço de uma empresa, uma fração de seu capital que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, mas vai depender das cotações nos mercados.


BDR
Brazilian Depositary Receipts – BDRs são certificados de depósito, emitidos e negociados no Brasil, com lastro em valores mobiliários de emissão de companhias estrangeiras.

– O BDR patrocinado é emitido por uma instituição depositária contratada pela companhia estrangeira emissora dos valores mobiliários e pode ser classificado como Nível I, Nível II ou Nível III.

– O BDR não patrocinado é emitido por uma instituição depositária, sem envolvimento da companhia estrangeira emissora dos valores mobiliários lastro, e só pode ser classificado como Nível I.


ALUGUEL (BTC)
A sigla BTC significa Banco de Títulos CBLC.

O empréstimo de Ações consiste em emprestar ativos (aluguel na ponta doadora) a uma taxa prefixada (fixada no fechamento da operação, considerando o valor pro rata) para um determinado vencimento. O investidor que é contraparte (tomador) tem como objetivo utilizar os ativos para realizar operações vendidas, apostando na queda das ações.

No dia seguinte (D+1) do vencimento do contrato, o investidor tomador paga a taxa acordada ao doador dos ativos acrescido dos emolumentos cobrados pela BM&FBovespa. Vale lembrar que nessa operação não há custo para o investidor doador dos ativos.

PARTES ENVOLVIDAS NO PROCESSO:

Doador: Investidor proprietário das Ações. Ou seja, quem empresta as Ações.

Tomador: Investidor que solicita o empréstimo e necessita de aporte de garantias para realização da operação.

XP CCTVM S/A: Intermediadora de todas as operações.

BM&FBovespa: Garantidora de todas as operações.

CUSTÓDIA REMUNERADA

A Custódia Remunerada é um serviço exclusivo da XP. Ao ativá-la gratuitamente no portal da XP, o cliente disponibilizará todas as Ações de sua carteira para aluguel (na ponta doadora) e a Mesa de BTC da XP buscará oportunidades no mercado (tomadores), com o objetivo de rentabilizar a carteira do cliente.


CLUBE DE INVESTIMENTO
O Clube de Investimento é uma forma de investimento coletivo de pessoas físicas no Mercado de Capitais. Esse grupo é composto por no mínimo 3 e no máximo 50 participantes, para aplicação em Títulos e Valores Mobiliários que podem ser Ações ou Derivativos. Assim como nos fundos, o patrimônio do Clube de Investimento é dividido em cotas. Ao aplicar seus recursos em um clube, o investidor se torna um cotista. Os cotistas podem fazer a gestão de investimentos do Clube ou contratar um gestor profissional certificado e credenciado à CVM, ambos casos precisam ser eleitos pela assembleia geral. O clube deve ser administrado por sociedade corretora, sociedade distribuidora, banco de investimento ou banco múltiplo com carteira de investimento, que é responsável pelo conjunto de atividades e de serviços relacionados direta e indiretamente ao seu funcionamento e manutenção.


ISHARE (ETFS)
Os iShares são uma família de Fundos de Índice (Fundos de Investimento em Índice de Mercado), conhecidos em outros países como ETFs (Exchange Traded Funds). Cada Fundo de Índice iShares busca retornos de investimento que correspondam, de forma geral, ao desempenho de um determinado índice de referência. Assim como as ações, as cotas de Fundos de Índice iShares são fáceis de serem adquiridas, oferecem liquidez diária e são negociáveis em Bolsa.


OFERTA PÚBLICA
A Oferta Pública, também conhecida como IPO, ocorre quando uma empresa decide fazer a abertura de seu capital por diversos motivos, como captar recursos financeiros para financiar novos investimentos da companhia.

1) Essa empresa procura por uma instituição financeira para prestar o serviço de emissão de ações, conhecido como Lançamento de Ofertas Primárias.

2) Ocorre a emissão de ações no Mercado Primário, conhecido como Oferta Pública.

3) Após o processo de IPO (período de reserva, bookbuilding e liquidação), as ações da empresa começam a ser negociadas no mercado da Bolsa de Valores.

A Oferta Pública também acontece quando os investidores ou acionistas transacionam ações de sua titularidade no mercado; nesse caso, ocorre o lançamento de Ofertas Secundárias.


OPÇÕES
Alternativa de investimento baseada em um outro ativo. Nessa operação, o comprador adquire o direito de comprar (opção de compra ou call) ou de vender (opção de venda ou put) uma quantidade específica de um determinado bem ou instrumento financeiro a um preço fixado (preço de exercício), numa data (data de expiração) determinada (opções de estilo europeu), ou durante o período que até ela decorra (opções de estilo americano), pagando, por isso, um dado preço (prêmio). O vendedor assume a obrigação de vender ou comprar o referido ativo, nas condições definidas, no caso de o comprador decidir exercer o seu direito.


TERMOS
Como comprador ou vendedor do contrato a termo, você se compromete a comprar ou vender certa quantidade de um bem (mercadoria ou ativo financeiro) por um preço fixado ainda na data de realização do negócio. A data de realização do negócio e a realização são pré-estabelecidas para uma data futura. Os contratos a termo somente são liquidados integralmente no vencimento. Podem ser negociados em Bolsa e no mercado de balcão.


ESTRUTURADOS
Os produtos estruturados são pacotes de cenários montados com derivativos para atender a demanda do investidor. Podem ser usados para proteção, otimização, participação, geração ou aceleração de retornos. Os produtos estruturados podem ser customizados de acordo com a necessidade e perfil de cada cliente, podendo estar ligados a diferentes classes de ativos, como ações, índices, moedas e commodities. Um grande diferencial da XP é dar acesso a pessoas físicas a estruturas sofisticadas, com tickets mínimos bastante baixos.


MERCADO FUTURO
Mercado como outro qualquer que conta com a presença de vendedores e compradores influenciados pela oferta e demanda dos ativos negociados. A diferença é que, em vez de ativos à vista, são negociados contratos para liquidação em uma data futura específica, previamente autorizada.

Espera-se que o preço do contrato futuro de uma determinada ação seja equivalente ao preço à vista, acrescido de uma fração correspondente à expectativa de taxas de juros entre o momento da negociação do contrato futuro de ações e a respectiva data de liquidação do contrato.
COMO FUNCIONA

Margem de garantia

É um dos instrumentos de salvaguarda financeira utilizado pelo mercado futuro. Trata-se de depósito (em dinheiro ou em ativos aceitos pela Bolsa) exigido de todos os clientes para abrir suas posições. Portanto, para entrar na compra ou na venda de um contrato futuro, você não precisa do valor total desse contrato, mas somente de uma margem depositada na conta. Por isso os contratos futuros podem ser tão alavancados.

Ajuste de posição

Mecanismo por meio do qual as posições mantidas pelos clientes, nos mercados futuros, são acertadas financeiramente todos os dias, conforme apresentem ganho ou perda em relação ao preço de ajuste do dia anterior. As posições em aberto ao final de cada pregão serão ajustadas com base no preço de ajuste do dia, determinado segundo regras estabelecidas pela Bolsa, com movimentação financeira no dia útil subsequente. O ajuste diário das posições em aberto será realizado até o dia útil anterior ao dia de alocação do Aviso de Entrega.